unitri
Curitiba

Rua Visconde do Rio Branco, 1358
12º andar - Conj 1201 - Centro
CEP: 80420-210 - Curitiba - PR

Tel.: +55 (41) 3324-9133

X
São Paulo

Rua São Bento, 545 - 12º andar - Centro
CEP: 01011-904 - São Paulo - SP

Tel.: +55 (11) 3105-9799


Av. Marques de São Vicente, 405 - 15º andar - Conj: 1505 - Barra Funda
CEP: 01139-001 - São Paulo - SP

Tel.: +55 (11) 3393-8800

X
Campinas

Rua Oriente, 55 - salas 808 - CEP: 13090-764
Chácara da Barra - Campinas - SP

Tel.: +55 (19) 3252-5855

X
São José do Rio Preto

Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 3131
sala 22 - Centro - CEP: 15010-070
São José do Rio Preto - SP

Tel.: +55 (17) 3363-9477 - +55 (17) 3363-9478

X
Rio de Janeiro

Rua da Assembleia, 10 - sala 2705 - Centro
CEP: 20011-000 - Rio de Janeiro - RJ

Tel.: +55 (21) 2220-3266

X
Macaé

Rua Dr. Luiz Bellegard, 407 - sala 403
Imbetiba - CEP: 27913-260 - Macaé - RJ

Tel.: +55 (22) 2142-3323

X
Belo Horizonte

Rua dos Guajajaras, 1611, sala 501
Barro Preto - CEP: 30180-099
Belo Horizonte - MG

Tel.: +55 (31) 3033-4060

X
Salvador

Av. Tancredo neves, 2539 - Sala 402
Caminho das Árvores - CEP: 41820-020
Salvador - BA

Tel.: +55 (71) 3901-0581

X
Recife

Av. Gov. Agamenon Magalhães, 4779
3º andar - sala 302 - Ilha do Leite
CEP: 50070-160 - Recife - PE

Tel.: +55 (81) 3039-8881

X

Artigos - 26-03-18

Bancária com doença psiquiátrica dispensada durante licença médica será reintegrada

A Subseção II Especializada em Dissídios Individuais (SDI-2) do Tribunal Superior do Trabalho determinou a reintegração imediata de uma empregada do Itaú Unibanco S.A. dispensada por justa causa no curso de auxílio acidentário em razão de transtorno psiquiátrico. Segundo o relator, ministro Alexandre Agra Belmonte, a dispensa não poderia ter ocorrido porque o afastamento previdenciário suspende o contrato de trabalho.

Em reclamação trabalhista ajuizada na 4ª Vara do Trabalho da Comarca de Canoas (RS), a bancária pediu, em tutela antecipada, a reintegração no emprego, o restabelecimento do plano de saúde e o pagamento da complementação do benefício previdenciário. O juízo de primeiro grau indeferiu a liminar, por entender que a análise da validade da dispensa por justa causa durante a suspensão do contrato de trabalho exigiria a produção de mais provas.

Contra essa decisão a empregada impetrou mandado de segurança no TRT, mas o pedido também foi indeferido. No recurso ordinário ao TST, ela reiterou que a dispensa se deu em período no qual detinha estabilidade e que, em razão dela, ficou impossibilitada de continuar o tratamento de saúde que motivou seu afastamento.

Decisão

Ao examinar o recurso na SDI-2, o ministro Alexandre Agra Belmonte afirmou que se encontram presentes os requisitos para o deferimento da tutela antecipada estabelecidos no artigo 300 do Código de Processo Civil – a probabilidade do direito e o perigo do dano. A observância desses requisitos, segundo o ministro, “não revela uma faculdade, mas uma obrigação do julgador que aprecia a questão”.

O relator assinalou que a análise da validade da justa causa realmente demanda a produção de provas no processo principal e não pode ser apreciada por meio de mandado de segurança, instrumento excepcional e de alcance restrito. Mas, a seu ver, é possível constatar, com base na documentação apresentada, que a dispensa ocorreu durante a suspensão do contrato de trabalho. Entre outros aspectos, ele observou que a penúltima licença expirou em 4/7/2016 e, no dia seguinte (mesmo dia da dispensa), foi protocolado novo atestado, este de 90 dias.

Agra Belmonte explicou que os artigos 476 da CLT e 63 da Lei 8.213/91 dispõem que o empregado no gozo de auxílio-doença é considerado em licença e que seu contrato de trabalho é suspenso em caso de afastamento por mais de 15 dias. Nessas circunstâncias, a dispensa só é possível por justa causa – matéria que ainda está sendo discutida na ação principal.

Por unanimidade, a SDI-2 determinou a reintegração da bancária no cargo que exercia anteriormente, com os benefícios legais e normativos, garantida a manutenção dos planos de saúde e odontológico, e estabeleceu multa diária de R$ 500 em favor dela em caso de descumprimento da decisão.

(MC/CF)

Processo: RO-22087-55.2016.5.04.0000

Secretaria de Comunicação Social
Tribunal Superior do Trabalho
Tel. (61) 3043-4907
secom@tst.jus.br