unitri
Curitiba

Rua Visconde do Rio Branco, 1358
12º andar - Conj 1201 - Centro
CEP: 80420-210 - Curitiba - PR

Tel.: +55 (41) 3324-9133

X
São Paulo

Rua São Bento, 545 - 12º andar - Centro
CEP: 01011-904 - São Paulo - SP

Tel.: +55 (11) 3105-9799


Av. Marques de São Vicente, 405 - 15º andar - Conj: 1505 - Barra Funda
CEP: 01139-001 - São Paulo - SP

Tel.: +55 (11) 3393-8800

X
Campinas

Rua Oriente, 55 - salas 808 - CEP: 13090-764
Chácara da Barra - Campinas - SP

Tel.: +55 (19) 3252-5855

X
São José do Rio Preto

Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 3131
sala 22 - Centro - CEP: 15010-070
São José do Rio Preto - SP

Tel.: +55 (17) 3363-9477 - +55 (17) 3363-9478

X
Rio de Janeiro

Rua da Assembleia, 10 - sala 2705 - Centro
CEP: 20011-000 - Rio de Janeiro - RJ

Tel.: +55 (21) 2220-3266

X
Macaé

Rua Dr. Luiz Bellegard, 407 - sala 403
Imbetiba - CEP: 27913-260 - Macaé - RJ

Tel.: +55 (22) 2142-3323

X
Belo Horizonte

Rua dos Guajajaras, 1611, sala 501
Barro Preto - CEP: 30180-099
Belo Horizonte - MG

Tel.: +55 (31) 3033-4060

X
Salvador

Av. Tancredo neves, 2539 - Sala 402
Caminho das Árvores - CEP: 41820-020
Salvador - BA

Tel.: +55 (71) 3901-0581

X
Recife

Av. Gov. Agamenon Magalhães, 4779
3º andar - sala 302 - Ilha do Leite
CEP: 50070-160 - Recife - PE

Tel.: +55 (81) 3039-8881

X
Campos dos Goytacazes

Rua Saldanha Marinho, 450
5º andar - conjunto 512 - Centro
CEP: 28010-272 - Campos dos Goytacazes - RJ

Tel.: + 55 (22) 3056-3837

X

Artigos - 08-02-19

Bancária obtém gratuidade de justiça pedida na segunda instância

Ela havia formulado o pedido na petição do recurso ordinário.

A Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho deferiu os benefícios da justiça gratuita a uma bancária que havia apresentado o pedido na petição de recurso ordinário ao Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP). De acordo com a jurisprudência do TST, o benefício pode ser requerido em qualquer tempo ou grau de jurisdição, desde que, na fase recursal, seja formulado dentro do prazo.

Deserção

Ao julgar o recurso ordinário da bancária, que move ação contra o Banco Bradesco S. A., o TRT entendeu que o apelo estava deserto por falta de comprovação do pagamento das custas processuais. Para o Tribunal Regional, não foi possível conceder de ofício os benefícios da gratuidade de justiça por já haver, nos autos, decisão denegatória, alterável somente por via recursal.

No recurso de revista, a bancária sustentou que, na mesma data em que interpôs o recurso ordinário, havia protocolizado também o requerimento de gratuidade de justiça e juntado declaração de pobreza, nos termos da Lei 1.060/50.

O relator, ministro Augusto César Leite de Carvalho, explicou que a jurisprudência do TST já se encontra firmada quanto aos requisitos para o deferimento dos benefícios da justiça gratuita pela Súmula 463 e pela Orientação Jurisprudencial 269, item I, da Subseção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1). “Como se constata, é possível o requerimento apenas em fase recursal, desde que no prazo alusivo ao recurso”, observou.CPC

No caso específico, o ministro destacou não ter havido pedido de justiça gratuita na petição inicial. O requerimento foi apresentado no início das razões do recurso ordinário, com apresentação de declaração de pobreza, “único requisito imposto pela lei para o deferimento dos benefícios”.

A decisão foi unânime.

(LT/CF)

Processo: RR-228900-92.2008.5.02.0019