Você sabe como identificar notícias falsas e o que fazer para combatê-las?

Você sabe como identificar notícias falsas? Todo brasileiro que acompanha o noticiário do país já se deparou com uma das expressões mais usadas ultimamente: A Fake News. Mas o que ela significa exatamente?

Em tradução livre do inglês, Fake News quer dizer “notícias falsas”. Na prática, se usa a expressão para definir notícias, boatos ou rumores publicados de forma imprecisa.

Eleita a palavra do ano em 2017, não é novidade que a prática que tomou conta das redes sociais e invadiu as listas de WhatsApp das famílias, já está espalhada pela internet. Geralmente a expressão aparece em contextos políticos e envolvendo figuras públicas, mas a vítima pode ser você.

Muitas vezes se usa Fake News para causar confusão sobre determinado assunto ou difamar alguém. Eventualmente, as informações também podem ser exageradas para chamar atenção e atrair publicidade para empresas e sites.

Por isso, separamos algumas dicas de como identificar e evitar as chamadas Fake News e convidamos vocês para refletir sobre as consequências dessa prática.

 

Você sabe como identificar notícias falsas? Pesquise e se informe antes de compartilhar

 

A primeira dica para quem quer evitar contar notícias falsas na internet ou na roda de amigos é uma velha conhecida dos jornalistas: é preciso buscar fontes confiáveis na hora de compartilhar informações.

Também é sempre bom ficar atento para o conteúdo da mensagem. Se ela for sensacionalista demais, desconfie. É importante, ainda, checar a data de publicação da notícia. Afinal, existe a possibilidade de que ela seja verdadeira, mas não seja uma informação recente.

Segundo um estudo de 2018 do Instituto de Tecnologia de Massachussets, notícias falsas circulam 70% mais do que verdadeiras na internet. Um dos motivos para isso, seria o de que essas notícias costumam ter maior carga emocional, inspirar mais surpresa e desgosto nas pessoas. Portanto, com maior potencial para “viralizar”.

Amigo de longa data dos internautas, o Google é o lugar mais prático para conferir a veracidade de uma notícia. Se ela é real, é provável que apareça em algum site de notícias conhecido antes de chegar até você. Por isso, uma boa pesquisa no buscador costuma ser suficiente para esclarecer a dúvida.

Por último, caso a notícia seja recebida pelo WhatsApp, é possível conferir se é uma mensagem enviada frequentemente para muitos contatos. Se esse for o caso, questione o interlocutor e, mais uma vez, use o Google para ajudar a descobrir a fonte da informação.

Quais as consequências das Fake News?

 

A consequência mais imediata do compartilhamento das Fake News é a disseminação de mentiras. Com a internet, em pouco tempo uma notícia falsa pode chegar a milhares de leitores. Assim, pessoas podem formar opiniões e terem atitudes com base em informações que não são verdadeiras.

Como já vimos em diferentes lugares do mundo, notícias falsas podem influenciar em diversos setores da comunidade, como na política, economia e até na saúde. Bem como terem consequências mais graves, como no caso de pessoas erroneamente acusadas de crimes na internet e que acabaram presas, ou foram agredidas por quem acreditou nas mentiras.

 

O que empresas podem fazer para punir quem produz notícias falsas?

 

Apesar das redes sociais como o Facebook, Instagram e o Twitter terem ações de combate às Fake News, elas não possuem uma política específica para a desinformação. Geralmente, as notícias falsas são excluídas através de denúncias de usuários. Dessa forma, se a prática se repetir muitas vezes, a pessoa ou empresa pode ter o perfil suspenso e até banido da rede.

Mas talvez essa realidade precise mudar em breve: uma pesquisa do Ibope em junho do ano passado revelou que 90% dos eleitores brasileiros apoiam a regulamentação das plataformas de redes sociais no combate às Fake News. Em maio deste ano, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto que criminaliza o disparo em massa desse tipo de notícia.

Aqui no Brasil existem ainda agências especializadas em combate às Fake News. Chamadas de fact-checking, elas checam a veracidade das principais notícias em circulação na internet. Alguns grandes veículos de informação também têm seu próprio setor de checagem.